Dia internacional das mulheres!

Por que o slow fashion tem tudo a ver com feminismo?!?!

Hoje é dia das mulheres, 08 de março! Um dia histórico, celebrado no mundo todo, um dia de reflexão e muita luta!

Você conhece a história por trás dessa data? E que diacho o slow fashion e o tricô tem a ver com tudo isso? É só continuar lendo que você vai descobrir!

O dia internacional das mulheres existe desde 1911, quando foi celebrado pela primeira vez em um grande ato mundial, protestos pelos direitos das mulheres tomaram as ruas de vários países do mundo. Mas só em 1921 que a data se fixou no dia 08 de março.

Muitas pessoas conhecem uma parte da história, mas hoje vocês vão descobrir um pouquinho mais! A escolha da data presta homenagem a dois acontecimentos muito importantes da luta feminista do início do século XX.

Reprodução Instagram / Women Alliance

Século XX: um século de lutas e conquistas!

Reprodução Facebook / @lassufra

Elas não eram fracas, pessoal! Mesmo acreditando na democracia, elas não dispensaram o uso das ações diretas. E as greves foram muito importantes na conquista de muitos direitos que temos hoje!

No final do século XIX e início do XX, o movimento feminista tinha outro nome e uma missão: o voto feminino! As mulheres da época acreditavam no poder do voto e da democracia. Assim, poderiam participar da escolha das/dos representantes e ter suas pautas representadas e, eventualmente, uma mudança de realidade.

O voto feminino é chamado de sufrágio, e aquelas que lutavam por esse direito são conhecidas como Sufragistas.

(foto: pixabay)

Tá, mas e o dia das mulheres?

O direito ao voto era a pauta principal das Sufragistas, mas não o único. Outras lutas como a igualdade salarial e boas condições de trabalho já estavam na lista de pautas.

A revolução industrial pode sim ter trazido vários avanços e progresso, mas também trouxe muitos problemas. Não podemos fechar os olhos para o que foi essa grande transformação da sociedade.

Reprodução BrasilEscola

Nesse cenário da revolução industrial, a mulher atuou principalmente como mão-de-obra da indústria têxtil. Jornadas de trabalho de 17 horas diárias, inexistência de dias de folga ou férias, ambientes insalubres e produtos tóxicos, remuneração 60% inferior a dos homens e trabalho infantil era a norma! Após algumas décadas vivendo dessa maneira, as mulheres começaram a se organizar em sindicatos e uniões trabalhistas.

O início do século XX foi tomado por greves e protestos, muitas conquistas e direitos que temos hoje vem da luta dessas mulheres! E o Dia Internacional da Mulher presta uma bela homenagem àquelas que morreram lutando, vítimas do preconceito de gênero. A escolha da data 08 de março é um símbolo, a data foi escolhida para que nunca esqueçamos nossa força, nossas dores, nossas lutas, nossas conquistas – para que o passado trágico nunca seja esquecido e, assim, que nunca se repita.

A data 08 de março coincide com dois grandes eventos da história da luta das mulheres. Vamos conhecer eles?

1911, Estados Unidos

Esse evento é o mais conhecido e provavelmente você já sabe sobre o que se trata, mas aqui vem mais detalhes!

Desde 1909 os Estados Unidos vinha atravessando uma onda de greves do movimento Sufragista. No período de 1909 a 1911 aconteceram mais de 500 greves!!

Reprodução Wikipedia

As greves dessa época ficaram conhecidas como “Sit down strikes”, porque os trabalhadores até iam para as fábricas, mas ao invés de trabalhar, ficavam sentados impedindo a produção (sit down = sentado; strike = greve).

No poster se lê: “Trabalhadoras da indústria têxtil: sentem-se! Nos ajudem a conseguir 40 horas por semana!”/ Reprodução libcom.org

E no ano de 1911, durante uma dessas greves, uma grande tragédia (na vdd um grande crime) aconteceu. As trabalhadoras da fábrica de tecidos Triangle Shirtwaist, em Nova Iorque, estavam protestando por melhores condições de trabalho, quando foram trancadas nos andares mais altos da fábrica (que tinha 12 andares) e, então, foram queimadas vivas. Não existiram sobreviventes, as que tentaram pular pelas janelas, caíram em queda livre para a morte.

Nesse dia, mais de 120 mulheres foram assassinadas por lutarem por nossos direitos, por ousar lutar por igualdade.

1917, Rússia

Reprodução Wikipédia

Do outro lado do mundo, as coisas não estavam mais calmas. A Rússia da época estava enfrentando uma grave crise, a população estava morrendo de fome, os salários eram muito baixos e quantidade de horas de trabalho era absurda. Para completar o Czar (“rei”) havia confirmado a entrada da Rússia na 1ª Guerra Mundial

Aterrorizadas pelo presente e apavoradas com a perspectiva do futuro, 90 mil mulheres realizaram o que foi, até então, o maior ato da história pelos direitos das mulheres. Esse ato ficou mundialmente conhecido como “Pão e Paz”. As revindicações desse ato foram lembradas, quando naquele mesmo ano, 1917, as russas foram as primeiras mulheres a conquistar o direito ao voto.

Por isso tudo, o dia 08 de março foi a data escolhida para o Dia Internacional da Mulher. Por seu simbolismo, relembrando um dia de grandes tragédias para que não se repitam, e também nos lembrando que a luta apesar de difícil, vale a pena!

E o tricô? E o slow fashion?

Você reparou que durante todo esse texto, as mulheres aparecem o tempo todo como operárias da indústria têxtil? Pois é, até hoje as relações de trabalho deste setor são extremamente complicadas.

Ainda hoje, a força de trabalho da indústria da tendência ainda é em grande parte feminina, sendo o trabalho análogo a escravidão uma prática generalizada (salários tão baixos que é a mesma coisa que sem salário).

As lutas que começaram nas fábricas do início do século XX não acabaram e temos ainda um grande caminho a percorrer.

Reprodução Freepik

E é por isso que o slow fashion (olha o tricô artesanal aqui!!!) é uma atitude feminista! Deixando de comprar das grandes redes da indústria da tendência, você deixa de dar lucro pra esse tipo de empresa e, consequentemente, deixa de financiar a exploração do trabalho de outras mulheres e crianças (e pessoas em geral).

E como eu posso ajudar?

Ah isso é mais fácil que você imagina! Sempre que sentir vontade de comprar algo em uma grande rede de lojas, pesquise no Google se essa rede está envolvida em algum escândalo ou se apresenta histórico de trabalho escravo.

Mas, mais fácil (e mais barato), é você recorrer as outras opções que temos, não é mesmo? A moda circular é um exemplo, existem MUITOS brechós espalhados pela cidade, com lojas físicas e virtuais. Com certeza vai achar algum que tem o seu estilo. Outra opção são as pequenas marcas, aquelas de pequenos empreendedores, as costureiras e os artesãos.

Por hoje pra esse tema, é isso pessoal!
Até a próxima e um grande Abraço Quentinho!

FONTES:

Wikipédia
BrasilEscola
Sesipr
Aventuras na História
Efemérides do Éfemello

Autor: abraço quentinho

Tricotadeira nas horas vagas, mãe de gato em tempo integral

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s