Hey, Tricô, quantos anos você tem?

Estava aqui em casa tricotando, é claro, e parei pra pensar: “o tricô é muito antigo, deve ter uns mil anos”.

Como eu não me aguento com essas curiosidades já parti pra pesquisa! E, cara! Que surpresa, eim? Numa escala de 0 a 10, quanto que vocês acham que eu estava errada?

Foi um verdadeiro 10. O tricô é muito mais antigo do que isso!

Como os materiais usados na antiguidade acabaram se decompondo (ossos, madeira, algodão, seda, …), acabamos sem um registro preciso de quando que o tricô foi inventado. Mas os historiadores conseguem pelo menos nos dizer uma época, um período histórico.

Imagem “verdadeira” de egípcios tricotando

Isso mesmo! Os egípcios foram os primeiros a deixar registros da técnica, e esse registros datam de mais de 20 mil anos!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! (não tem ponto de exclamação suficiente pra essa informação).

As agulhas eram feitas de ossos ou madeira e tinham um aspecto parecido com as agulhas de crochê. É que ainda não existia bem essa divisão clara entre as técnicas e pra falar bem a verdade as duas técnicas são irmãs!!! O tricô de 20 mil anos atrás era feito com apenas com uma agulha, misturando um pouco das duas técnicas (crochê e tricô).

Outra diferença bem grande, é que naquela época, as fibras naturais, em oposição às lãs, é que eram utilizadas. Sendo muito utilizadas os fios feitos com algodão e seda. Até dá pra entender, né? Já pensou morar no deserto do Saara e usar algo de lã? Já fiquei com calor aqui!

Fiquei muito feliz de descobrir que mesmo 20 mil anos depois o tricô artesanal ainda existe! Se parar pra pensar, é a tradição mais antiga que eu conheço, você consegue pensar em algo tão velho assim?! Não consigo nem entender o que é 20 mil anos pq é muito tempoooo!

Bora trabalhar pra que o tricô permaneça vivo, por muitos 20 mil anos mais!!

Por hoje é isso, pessoal!
Um grande Abraço Quentinho!

FONTES:

Wikipedia
UOL
Medium
Factretriever.com

Quem está por trás desse projeto lindo???

Oi pessoal! Eu sou a Juliana!

Tricô é coisa de vovózinha? Então pode me chamar de Vovó Juju – também pq eu amo abacate! 🙂

O tricô é uma arte muito especial pra mim e que sempre esteve presente em minha vida. Minha vó ensinou minha mãe, e minha mãe me ensinou! Cresci vendo minha mãe tricotar um blusão pra cada um da família a cada inverno, por isso, desde pequena sempre desfilei lookinhos feitos a mão – esbanjando estilo.

Crescer rodeada de novelos e agulhas foi sensacional! Comecei a aprender com 11 anos e até hoje aprendo coisas novas a cada projeto!

Falando em projetos….. vocês também são as loucas do projeto inacabado? Sério, estou com várias toquinhas, cachecóis, blusas e casacos parados porque eu não consigo me conter!!! É passar na frente de um armarinho que eu já saio com 6 novelos! Por isso, resolvi criar o blog, assim caminhamos juntas na conclusão desses projetos, dividimos técnicas e aprendemos ainda mais juntas! Além, é claro, de participar da realização do meu sonho: usar apenas blusas de lã feitas a mão!

Acredito no potencial transformador do artesanato. Ser capaz de criar suas próprias roupas, exercer sua criatividade e a realização que bate no coração quando terminamos aquela peça cheia de tranças e detalhes trabalhosos é extremamente empoderador!!! É realmente viver de vdd o seu estilo pessoal!

Por isso, também sou grande fã de brechós e tenho as costureiras guardadas bem fundo no meu coração! Cada dia que passa, ficamos mais conscientes do que é a industria da moda e seus crimes, que vão desde as tendências impossíveis de acompanhar – incentivando um consumismo loko – até um impacto ambiental gigantesco e trabalho escravo generalizado. Essas tristezas precisam parar de acontecer! E um jeito bem bacana que nós consumidores podemos colaborar é preferindo o SLOW FASHION (termo do inglês que significa moda devagar, em contraste a grande indústria das tendências, o fast fashion), comprando em brechós, pequenas confecções e artesãos!

Um dia quando me sentir preparada, farei parte de vdd desse mundo slow fashion, oferecendo meu trabalho como artesã e aceitando encomendas. Por agora, vamos curtir o que há de melhor pra se falar: tricô!

Um grande Abraço Quentinho!
Juliana 🙂