TBT: Sanduba, a gatinha que ama tricô!

Que TBT gostoso esse, eim? Primeiro porque toda mãe ou pai de gato adora falar dos seus nenês, e segundo porque o tricô tem tudo a ver com a amizade que construí com essa pequena animal! Vem comigo que eu te conto tudinho!

Quando a Sanduba chegou na minha casa, eu não sabia nada, nadinha, sobre gatos e ela não sabia nada, nadinha sobre humanos. E foi sofrido, eim?

Como ela foi resgatada, não sabemos o que aconteceu com ela antes da adoção, mas pensa numa gatinha arisca? Todo dia se escondendo em um lugar diferente da casa, atrás da geladeira, dentro do forno do fogão, dentro do box do banheiro, mas principalmente embaixo da cama.

Foi muito sofrido pra mim, pessoal. Imagina você acostumado com doguinhos e de repente um gato bolado aparece? Achei que nunca fossemos virar amigas….

Mas, depois de muito conversar com meus amigos gateiros e chorar alguns dias na terapia, acabei entendendo que gatinhos demoram um pouco mais pra confiar na gente, ô bichinho desconfiado!

Depois de quase um mês da gatinha sem sair debaixo da minha cama, comendo escondido enquanto eu dormia, o tricô foi fundamental na nossa aproximação!

Essa nenê adora uma lã, um novelo saltitante pra correr perseguindo!

E numa tarde de domingo, enquanto eu desmanchava esse casaquinho (que na época era uma caxarrel) a gatinha Sanduba, felinamente, saiu de baixo da cama e veio brincar!

Depois desse dia, nós começamos uma boa jornada juntas. Ô, gatinha companheira, eim?

Só sobrevivo à quarentena, ao isolamento social e ao home office com aulas online, porque essa nenê decidiu que eu era uma pessoa do bem e por causa do tricô.

Não sei exatamente porque ela decidiu aparecer naquela hora, enquanto tricotava. Nem sei porque ela sempre vem tricotar comigo, mas nossa amizade foi selada com lã Batik e agulhas 3.5.

Achei que nunca fossemos virar amigas!

Pro azar da Sandubinha, lã não é um brinquedo muito legal para gatinhos. Eles podem acabar engolindo alguns pedaços e isso virar um problema bem grave de intestino que precisa de cirurgia. Por isso, sempre que tricoto fico com os olhos bem abertos, pra ver onde que a gata está e se tá com a boca na butija.

E, claro, que sob forte supervisão, acabamos brincando com lã de vez em quando.

Foi uma delícia contar essa história pra vocês!
Até a próxima e uma grande Abraço Quentinho!

Cardigã + Top cropped (se deus quiser)

Há mais ou menos 3 ou 4 (???) anos atrás, tinha uma loja de armarinhos no caminho do meu ponto de ônibus pra faculdade. Todo dia eu passava na frente e todo dia eu namorava essa lã coisa mais linda do universo. Faltava um pouco de coragem pra comprar pq a Juliana do passado não era tão colorida assim quanto a do presente, mas depois de semanas me enrolando, finalmente me decidi e comprei.

Acontece que essa lã é muito linda e precisa virar uma peça que valorize suas características de lã mesclada. E foi assim que eu quase detonei ela de tanto desmanchar tudo que eu começava! Ela já foi suéter, caxarrel de gola alta, já foi jaqueta, uns pedaços viraram pompom – uma loucura criativa.

Mas eu já me decidi!!!!

No final do ano passado peguei essa lindeza e desmanchei de novo. Nessa última vez, era um suéter cheio de tranças, que acabaram invisíveis pq a lã já tem muitos detalhes. Então comecei a tricotar um casaquinho liso. Agora que ele já está quase pronto, comecei a pensar o que fazer com a sobra da lã e a ideia foi instantânea: conjuntinho de cardigã + cropped combinando. Ainda existe a possibilidade da lã que sobrar não ser suficiente pro cropped, ai inventamos outra coisa rsrsrsrs
A seguir explico certinho qual é a minha ideia, pra vocês tentarem imaginar, pode ser?

Agora já não sei mais quantos novelos eu tenho pra trabalhar! Na época comprei 5, mas com o tempo acabei usando a lã pra algumas finalidades que me arrependo kkk e to com menos do que eu gosto de ter, ta muito desconfortável essa dúvida. Apesar de estar na estica, acredito que vai ser suficiente!

As agulhas, apesar da embalagem sugerir agulhas 4 a 5.5, o meu gosto pessoal é um ponto bem fechadinho e apertado. Pra conseguir esse efeito, sempre uso agulhas 0.5 menores que a indicação da embalagem.

As listras são um elemento fashion que nunca sai de moda. Todo ano a listra é tendência, já reparou?

Com essa lã, minha intenção é que as listras se fundam em um bonito degradê. Será que, com o tipo de mescla dessa lã, eu vou conseguir? Vamos descobrir juntas!

Outro detalhe especial das lãs mescladas é que você não controla a grossura da listra, então teremos um resultado bem irregular e bonito.

Quando eu era criança, minha mãe comprou uma revista de tricô só de conjuntinhos de cardigã com coletes e eu queria muito que ela fizesse pra mim. Tinha um nome esse tipo de conjunto, mas eu esqueci, se você souber me conta!

E pra juntar o útil ao agradável, já que não temos muita lã, vamos deixar essa memória afetiva mais moderna e usar a inspiração do colete para produzir um cropped! Bônus: tá super na moda!

E para realizar o nosso projeto, escolhi alguns detalhes que vão ser marcantes na nossa peça!

O cardigã será produzido em ponto malha, com um lindo detalhe de trança na gola.

Já o cropped, será uma mistura! Estou pensando em fazer ponto malha com algumas trancinhas.

Ainda estou pensando em quantas tranças vou fazer, preciso testar e ver se a lã vai ser suficiente. Para as costas, vou apostar em uma amarração, bem no estilo da foto!

Amanhã volto com mais infos sobre o projeto!
Um grande Abraço Quentinho!